Clipping de Relações Internacionais

Fim do embargo de armas contra Síria divide europeus

Posted in Europa, Política & Política Externa by Emilia C. de Paula on 16/03/2013

DW – 15/03/13.

No dia em que revolta contra Assad completa dois anos, debate sobre dar armamento a rebeldes domina cúpula da União Europeia. Apesar da pressão da França e Reino Unido, consenso parece distante.

A revolta para derrubar o ditador Bashar al-Assad completou seu segundo ano nesta sexta-feira (15/03). E os líderes da União Europeia, reunidos em Bruxelas, continuam sem um acordo sobre o fim do embargo de armas contra a Síria, que, segundo defendem a França e a Reino Unido, daria mais força aos rebeldes. Uma saída para o impasse parece ainda distante, e a paciência de britânicos e franceses, vai se esgotando.

Durante a reunião, o presidente francês, François Hollande, não mediu palavras para defender seu ponto de vista. E, questionado o porquê de fazê-lo justo agora, respondeu: “Porque esse drama já dura dois anos, o número de vítimas crescerá e porque as tentativas do enviado [especial da Liga Árabe e da ONU] Lakhdar Brahimi não encontraram solução política”.

O argumento de Hollande e do primeiro-ministro britânico, David Cameron, é de que o embargo acaba favorecendo Assad, que, por trás dos panos, continuaria recebendo armas de Rússia e Irã. O tema não estava na agenda oficial da cúpula, mas acabou alçado a primeiro plano pela pressão franco-britânica. E, uma vez em debate, ficou claro que é controverso e divide os países-membros.

“Eu sou contra. Acho que não se pode chegar a uma solução para um conflito entregando armas. Isso vai apenas levar a outra parte a também dar mais armamentos”, argumentou o chanceler federal da Áustria, Werner Faymann.

Oposição alemã

Já a chanceler federal alemã, Angela Merkel, foi mais contida, mas não deixou de expor sua oposição ao fim do embargo. “Tenho uma série de reservas sobre armar a oposição, pois é preciso se perguntar se, fazendo isso, não se estará contribuindo para a intensificação do conflito”, questionou.

Muitos temem também que as armas acabem caindo em mãos erradas, como as de terroristas. Merkel parece já ter dito tudo que queria. E Paris e Londres dão impressão de que também não quererem colocar suas ideias imediatamente em prática. O assunto vai voltar à pauta na próxima semana, na reunião de ministros do Exterior da UE, em Dublin.

Independente do que aconteça, a iniciativa isolada, em si, já irrita muitos, independente de como vá prosseguir a história. Quer a UE encontre uma linha comum, quer não, a França e o Reino Unido deixaram clara sua independência em questões de política externa. O primeiro-ministro da Finlândia, Jyrki Katainen, não escondeu a decepção.

“Nós nos esforçamos durante longo tempo na União Europeia para ter uma política externa e de segurança comuns. E espero que possamos fortalecer essa política externa comum com uma posição comum sobre a Síria”, disse.

“Baixamos o teto do cartão de crédito”

A presidente lituana, Dalia Grybauskaite, também percebe essa “dissonância” europeia em relação à Rússia, um dos países que fornecem armas ao regime sírio. As relações com Moscou também foram assunto deste segundo dia de cúpula. Referindo-se à questão dos direitos humanos na Rússia, Grybauskaite apontou dupla moral por parte dos europeus, que estariam sendo mais brandos com os grandes países do que com os pequenos, “pouco importantes”.

“Se fizermos isso, estaremos permitindo à Rússia fazer coisas que normalmente não aceitamos. Não podemos fazer deduções de nossas posições políticas e permitir que grandes potências como a Rússia sejam exceção”, pleiteou.

A UE está também dividida sobre o orçamento para o período 2014-2020. Pela primeira vez na história, o Parlamento Europeu teve que dar o seu voto, depois de rejeitar o orçamento enxugado a que chegaram os chefes de Estado e governo, após longos debates. Cameron, que foi um dos que mais defendiam os cortes orçamentários, agora se mostra satisfeito. “Nós reduzimos o limite do cartão de crédito, e é assim que vai ficar”, declarou.

Disponível em:

 http://www.dw.de/fim-do-embargo-de-armas-contra-s%C3%ADria-divide-europeus/a-16678293

Tagged with: , , ,

Comentários desativados em Fim do embargo de armas contra Síria divide europeus

%d blogueiros gostam disto: