Clipping de Relações Internacionais

Alemanha afasta risco de apagão mesmo com treze reatores desligados

Posted in Energia & Recursos, Europa by Emilia C. de Paula on 21/05/2011

Alemanha – DW – 21/05/11.

A partir desde sábado (21/05), o fornecimento de energia na Alemanha entra numa fase critica. Ao longo de toda a semana, 13 das 17 usinas nucleares do país estarão fechadas. Ainda assim, a agência federal alemã de energia elétrica afasta a possibilidade de um apagão: “A situação é complicada, mas ainda controlável”, afirmou o presidente, Matthias Kurth.

 

Diferentes motivos provocaram a suspensão temporária das atividades nas centrais atômicas. Oito delas estão desligadas da rede segundo decisão governamental, após a moratória de três meses declarada por Angela Merkel, e as demais passam por trabalhos de manutenção.

 

As quatro usinas em funcionamento deverão atender a demanda, acredita o governo, que conta também com as condições favoráveis do clima. “Com os dias ensolarados, muita energia solar será produzida”, argumentou Kurth. No inverno o risco de um apagão sob essas condições seria maior, adiciona o presidente da agência, lembrando que o consumo de energia é sempre mais elevado nessa estação.

 

Ainda assim, o círculo político demonstra preocupação diante desse panorama. “A situação é muito tensa. Se o fator clima não influenciar e se a demanda for muito elevada, pode ser que tenhamos uma escassez”, declarou Klaus Breil, porta-voz do comitê de energia do FDP, o partido Liberal alemão.

 

Apenas 27% da capacidade de geração nuclear da Alemanha estará à disposição ao longo da semana. Nesse período, estima-se que o país precise importar diariamente energia de vizinhos como a França e República Tcheca, além da Polônia. Matthias Kurth é mais moderado: “Podemos pensar na demanda da Alemanha sem depender de um saldo de importação.”

 

As usinas nucleares são responsáveis por cerca de 23% da geração de eletricidade na Alemanha, 15% vêm de fontes renováveis, 13% de gás natural e o restante, cerca de 43%, a partir do carvão.

 

Enquanto a decisão final não vem

 

Muito tem se discutido sobre o futuro das usinas nucleares alemãs. Neste sábado, a chanceler federal, Angela Merkel, afirmou que brevemente o governo decidirá uma data concreta para abandonar totalmente esse tipo de geração.

 

“As pessoas querem saber uma data exata”, pronunciou Merkel depois de um encontro com o presidente na Baviera da CSU (União Social Cristã), Kloster Andechs, neste sábado. O objetivo do partido é desligar a última unidade da rede no máximo em 2022, prazo que, apesar de não definido, é visto com bons olhos por Merkel.

 

Definido o deadline, o próximo passo será a fomentar investimentos para o setor de energia renovável. Segundo os planos da CSU, até 2022 metade da energia produzida na Alemanha deverá vir de fontes renováveis, a outra metade virá das usinas de gás.

 

Mais tarde do que o previsto

 

A lei introduzida pelo ex-chanceler federal, Gerhard Schröder, que governou com a coalização formada por Social-democratas e Verdes, previa o abandono da energia nuclear em 2020. Até que, em setembro do ano passado, Angela Merkel decidiu prorrogar as atividades das centrais atômicas.

 

Segundo os planos do governo Merkel, as unidades mais recentes, construídas depois de 1980, funcionariam por mais 14 anos do que o programado durante o governo do então de Schröder. Já as plantas mais antigas deveriam permanecer ativas por mais oito anos. Depois do acidente da usina de Fukushima, no Japão, o governo alemão optou, no entanto, decidiu rever essa decisão e declarou uma moratória nuclear, que vence em meados de junho.

 

Há anos, o movimento antinuclear vem ganhando força na Alemanha e a oposição pública a esse tipo de energia cresceu. Derrotas eleitorais sofridas pelo partido de Merkel recentemente foram vistas como parte desse descontentamento da população.

 

NP/rts/dpa/afp

 

 

Disponível em:

http://www.dw-world.de/dw/article/0,,15095509,00.html

Comentários desativados em Alemanha afasta risco de apagão mesmo com treze reatores desligados

%d blogueiros gostam disto: