Clipping de Relações Internacionais

Buzek diz que UE deve promover ordem de detenção internacional contra Kadafi

Posted in África, Paz & Conflito by Nejme Joma on 11/03/2011

Bruxelas, 11 mar (EFE).

O presidente do Parlamento Europeu, Jerzy Buzek, afirmou nesta sexta-feira que a União Europeia (UE) deve empreender os passos necessários para que se emita uma ordem de detenção internacional contra o líder líbio, Muammar Kadafi.

“Devemos enviar uma mensagem clara que Kadafi e seus homens devem ser levados perante a justiça”, assinalou Buzek em entrevista coletiva após discursar perante a cúpula de líderes da UE que estuda a resposta ao conflito civil líbio.

“Falando claro: o ditador tem que ir embora”, assinalou Buzek, e acrescentou que “a UE deveria tomar os passos necessários para julgar Kadafi e seus líderes perante a justiça internacional por crimes contra a humanidade”.

O presidente do Parlamento assinalou que a primeira prioridade a respeito da Líbia deve ser “a proteção da população civil”, seguida da “assistência humanitária” e “do apoio a uma transição democrática”.

Buzek qualificou a situação na Líbia de “tragédia humana” e assinalou que devem usar-se “todos os recursos possíveis para proteger os civis” enquanto se consegue “o respaldo da comunidade internacional e, especialmente, dos países árabes”.

Sobre a possibilidade de impor uma zona de exclusão aérea, o presidente da Eurocâmara afirmou que “o melhor caminho é um mandato do Conselho de Segurança da ONU”.

Buzek propôs dar asilo aos pilotos militares líbios que desertem. EFE.

Disponível em: http://br.noticias.yahoo.com/s/11032011/40/politica-buzek-diz-ue-deve-promover.html

 

Tagged with: , , , ,

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. edelvio coelho lindoso said, on 15/03/2011 at 12:07

    Jerzy Buzek, presidente da UE está providenciando, através do CS da ONU, um mandato para detenção de Kadafi e ministros de governo, para indiciamento à juatiça internacional, por crime contra a humanidade. A prioridae é a proteção da população civil líbia, seguida de assistência humanitária e apoio à transição democrática. Para isso, deve-se conseguir o sim da comunidade internacional e da Liga árabe.

    Aproveitando o embalo das causas humanitárias, seria interessante incluir a situação de genocídio de Israel contra palestinos; nada mais pertinente. No caso anterior será facílimo conseguir o direito de adesão dos EUA. Neste caso, como aconteceu a pouquíssimo tempo, quando os americanos resistiram sozinhos, a favor de Israel, contra mais de 200 nações favoráveis aos palestinos, no plenário da ONU, se necessitará de um árduo trabalho contra o poderoso lobby sionista, não obstante a similaridade entre os dois episódios.

    Se a causa líbia sair-se vencedora, na ONU, por ser vítima de crimes contra a humanidade e receber dali a ordem para detenção do todo o governo opressor, que a UE complete seu trabalho e vindique os mesmos tratos contra Israel, e saia também com o alvará de prisão contra todo o seu governo, e o indiciamento à justiça internacional. Será um belo libelo, digno da magnitude da Justiça e da Moral.


Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: