Clipping de Relações Internacionais

Autoridades palestinas contradizem WikiLeaks e negam oferta a Israel sobre Jerusalém

Posted in Oriente Médio, Paz & Conflito by Nejme Joma on 24/01/2011

RIO

Pouco depois da revelação de novos documentos vazados ao WikiLeaks, autoridades palestinas negaram que tenham oferecido a Israel boa parte da cidade velha de Jerusalém, como indicariam os papéis divulgados no domingo pela TV árabe Al-Jazeera. Segundo os documentos, numa das maiores concessões já feitas em negociações de paz na região, palestinos teriam concordado, secretamente, em permitir que Israel anexasse todos os seus assentamentos no leste de Jerusalém, exceto o de Har Homa.

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, garantiu que os países árabes foram completamente informados sobre as negociações com Israel. Os documentos afirmam que Israel informou Abbas previamente sobre planos para invadir a Faixa de Gaza, governada pelo grupo islâmico Hamas. O presidente da ANP, que é do movimento secular Fatah, já havia rejeitado essa informação anteriormente.

– Eu não sei de onde a Al-Jazeera tirou coisas secretas – disse Abbas no Cairo, segundo a agência de notícias palestina Wafa. – Não há nada para esconder nossos irmão, os árabes.

O atual negociador chefe dos palestinos, Saeb Erekat, também desmentiu as informações. Ele classificou a notícia como “mentiras e meias-verdades”. Segundo Erekat, a proposta sobre Jerusalém foi feita por Israel e não houve uma oferta palestina para limitar o retorno de refugiados aos territórios ocupados, ao contrário do que sustentam os papéis.

Disponível em: http://br.noticias.yahoo.com/s/24012011/83/autoridades-palestinas-contradizem-wikileaks-negam-oferta.html

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. edelvio coelho lindoso said, on 24/01/2011 at 19:18

    Prefiro acreditar na palavra de Abbas. Essas contra-informações vindas de israelos-anglo-americanos são mais antigas que a posição de sentar. Me lembra um episódio da década de 40, no brasil-novo do GG, americanos aqui, querendi implantar bases aéreas no NE, o que conseguiu, e ameaçando estender-se até o Amazonas, num ato de guerra, ante a lerdeza de Getúlio, mal disfarçada. Estava-se na política da “boa vizinhança”, imaginem só, com “boogie woogie” e tudo e eles queriam desgermanizar as rotas aéreas do Eixo Ítalas-germânicas, civis. As inteligentzias anglo-americana, já baseada aqui, conseguiu um escrito roubado na embaixada alemã, que ainda funcionava aqui, com jamegão e tal, produziram um papel envelhecido, uma máquina datilográfica com os mesmos defeitos da original e compilaram um iexto escarnecendo o biotipo bujão, do noso ditador; assinaram com maestria o tal, e conseguiram a mal-querêcia pretendida entre o vaidoso ofendido e o embaixador incômodo. Parece história de Aghata Christie, mas foi verdade. e, assim, de cambalacho em cambalacho esses peraltas vão abrindo seus espaços, na infernização do mundo. Baniram as duas empresas e impingiram a Panair do Brasil, depois de malbaratar as vbidas das concorrentes, surrupiando combustivel e peças de reposição. Descarregou aqui, aviões adptados, dos estoques da 1ª guerra. A história inglória das falcatruas dessa tão adorada águia vai longe. Trocou borracha, modificando a geo-política do NE, por duas bases aéreas, em Recife e Natal, e deteriorou o costume moral de nossas virgens, numa instituição chamada USO, que carregam consigo para todos os lugares onde seus guerreiros vão, e com médico brasileiro contratado, cabaços voaram. Se alguem souber decifrar o O daquela sigla, por favor me informe.
    É assim que age um Império, quem gostar que o aceite. Pior que ele cuida muito bem do seu poder sedutor, que na época da guerra e do cinema americano, era chamado de “it”.
    Gostaram? Abstenham-se.


Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: