Clipping de Relações Internacionais

Costa do Marfim: emissários africanos conversam com Gbagbo e Ouattara

Posted in África, Política & Política Externa by Nejme Joma on 29/12/2010

ABIDJAN (AFP) – 29/12/2010.

Os três chefes de Estado de África Ocidental enviados a Abidjan se reuniram nesta terça-feira com os dois presidentes proclamados da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo e Alassane Ouattara, em busca de uma solução para a crise política no país.

Os três enviados da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) tinham por objetivo convencer Gbagbo a ceder a presidência a Ouattara, reconhecido pela maioria da comunidade internacional.

Os presidentes de Benin, Boni Yayi, Serra Leoa, Ernest Koroma e de Cabo Verde, Pedro Pires, se reuniram com Gbagbo no prédio da presidência da Costa do Marfim, e com Ouattara e seu primeiro-ministro, Guillaume Soro, chefe da ex-rebelição das Forças Novas (FN), no “Golf Hôtel” de Abidjan.

Gbagbo, sorridente e aparentemente descontraído, acompanhou seus hóspedes à saída do palácio, mas evitou qualquer declaração.

Ouattara também não deu qualquer declaração após seu encontro com o trio da CEDEAO, mas seu porta-voz, Patrick Achi, afirmou que “o estatuto de presidente da República não é negociável”. “Trata-se de negociar as condições de saída do ex-presidente Laurent Gbagbo”.

Yayi, Koroma e Pires partiram da Costa do Marfim durante a noite rumo a Abuja, na Nigéria, onde na quarta-feira farão um relatório da missão ao chefe de Estado nigeriano, Goodluck Jonathan, presidente em exercício da CEDEAO.

Durante o dia, um comboio da missão da ONU na Costa do Marfim foi atacado em Abidjan por uma “multidão” e um capacete azul ficou ferido a facadas no incidente.

Segundo as Nações Unidas, “três veículos da Operação das Nações Unidas na Costa do Marfim, transportando 22 capacetes azuis, foi atacado” no bairro popular de Yopougon (oeste) quando vinha do interior do país.

“Uma multidão cercou o comboio, ferindo um soldado no braço com uma faca e incendiando um dos três veículos”.

A nota destaca que a situação “voltou ao normal” com a intervenção do general Philippe Mangou, chefe do Estado-Maior das forças fiéis a Laurent Gbagbo.

A ONU “condena vigorosamente o ataque, reiterando a determinação de dar prosseguimento a seu trabalho, a serviço do povo marfinense”.

Gbagbo exige a saída da ONU do país, acusando-a de apoiar a antiga rebelião ligada a Alassane Ouattara.

Disponível em: http://br.noticias.yahoo.com/s/afp/101229/mundo/costamarfim_pol__tica_viol__ncia

Comentários desativados em Costa do Marfim: emissários africanos conversam com Gbagbo e Ouattara

%d blogueiros gostam disto: