Clipping de Relações Internacionais

Israel aprova 1.600 casas em área palestina

Posted in Oriente Médio, Paz & Conflito, Social & Questões Culturais by Leila Yatim on 10/03/2010

Israel – Reuters, AP e EFE – 10/03/2010.

Israel aprovou ontem um projeto de construção de 1.600 novas casas para expandir a colônia judaica ultraortodoxa de Ramat Shlomo, em Jerusalém Oriental. A medida foi tomada um dia após os EUA terem anunciado que israelenses e palestinos iniciariam, com sua mediação, um diálogo indireto de paz, após mais de um ano de paralisação do processo.

Em visita a Israel, para tentar reativar as negociações, o vice-presidente americano, Joe Biden, disse que a decisão “prejudica a confiança necessária para levar o diálogo adiante”. Segundo o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, “nem o conteúdo ou o momento” do anúncio ajudam os esforços para obter a paz no Oriente Médio.

A Autoridade Palestina imediatamente condenou as construções em Jerusalém Oriental – o setor da cidade de maioria árabe anexado em 1967 por Israel que os palestinos reivindicam como a capital de seu futuro Estado – e destacou que elas ameaçam as negociações de paz. “A decisão de construir em Jerusalém Oriental significa que os esforços dos EUA fracassaram até mesmo antes do início das conversações indiretas”, declarou Nabil Abu Rudeina, porta-voz da Autoridade Palestina (AP). “Está claro que Israel não quer nem paz nem negociações e o governo americano terá de responder às provocações israelenses imediatamente e tomar uma decisão urgente sobre uma medida eficaz”, acrescentou. O presidente da AP, Mahmoud Abbas, telefonou ontem ao presidente da Liga Árabe, Amr Moussa, para pedir que tome medidas adequadas com relação a Israel.

Na segunda-feira, horas antes da chegada de Biden, Israel já havia anunciado a construção de 112 casas no assentamento judaico em Beitar Ilit, Cisjordânia. Em novembro, Israel prometeu dez meses de congelamento de construções na Cisjordânia, mas destacou que a moratória não se aplicava a Jerusalém Oriental e áreas adjacentes da Cisjordânia que foram anexadas para criar uma única municipalidade de Jerusalém.

Biden declarou ontem que os EUA apoiarão os que estiverem dispostos “a assumir riscos pela paz”. O anúncio de conversações indiretas marca o primeiro envolvimento diplomático de Barack Obama no conflito palestino-israelense. Mas há profundas divisões entre os palestinos e um governo israelense de linha dura, considerado pouco disposto a concessões. Os dois lados precisam entrar em acordo sobre suas fronteiras e a questão de Jerusalém, que Israel considera sua capital única e indivisível. Também têm de tomar uma decisão sobre os palestinos que perderam suas casas quando Israel foi fundado em 1948.

Com relação ao Irã, Biden reafirmou que Israel pode contar com o apoio americano para sua segurança e destacou a determinação dos EUA para evitar que o Irã desenvolva armas nucleares.

Ainda ontem, o premiê turco, Recep Erdogan, disse que a Síria está pronta para retomar as negociações de paz com Israel mediadas pela Turquia e há sinais positivos do lado israelense.

Disponível em: http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100310/not_imp521990,0.php

Acesso em: 10/03/2010.

Comentários desativados em Israel aprova 1.600 casas em área palestina

%d blogueiros gostam disto: