Clipping de Relações Internacionais

América Latina permanece dividida sobre eleição em Honduras

Posted in Américas, Opinião Pública/Mídia, Regiões by gleika on 30/11/2009

Reuters – 30/11/2009 

A América Latina permaneceu nesta segunda-feira sem chegar a um consenso sobre repudiar as eleições em Honduras, após uma minoria de países se alinhar ao aval que os Estados Unidos deram ao pleito, enquanto a Espanha buscava uma linha intermediária para salvar a 19a Cúpula Ibero-Americana.

Fontes diplomáticas disseram à Reuters que Brasil e Argentina lideram o grupo de países que deseja condenar oficialmente o processo eleitoral de domingo, no qual o fazendeiro Porfirio Lobo se converteu o presidente eleito cinco meses após o golpe de Estado que derrubou Manuel Zelaya.

A presidente argentina, Cristina Fernández Kirchner, disse na sessão de abertura da cúpula que ocorre em Estoril que a eleição foi uma “pantomima”, segundo comentários à Reuters de uma pessoa que participou do debate.

Ela se somou às declarações feitas no domingo à noite pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que assegurou que louvar as eleições organizadas por um governo de facto seria um sinal “perigoso” que daria luz verde a outros “aventureiros” e geraria instabilidade política.

Refugiado desde setembro na embaixada brasileira em Tegucigalpa para evitar ser preso pelo governo de facto, Zelaya assegura que o nível de abstenção foi muito alto.

Mas Washington respondeu ao processo de Honduras assegurando, através do porta-voz do Departamento de Estado, Ian Kelly, que a eleição “mostra que, dada a oportunidade de se expressar, os hondurenhos perceberam as eleições como uma parte importante da solução à crise política em seu país.”

Uma fonte diplomática disse que Panamá e Peru apoiavam a visão dos EUA e que outros países que poderiam se somar a esse grupo são Costa Rica e Colômbia.

“É difícil dizer (se haverá finalmente consenso). Há posições muito divergentes”, disse o chanceler português, Luis Amado, numa entrevista coletiva.

Diante desse cenário, o chanceler espanhol, Miguel Angel Moratinos, disse nesta segunda-feira que a posição de seu país tenta ir por um caminho intermediário, o que poderia ser uma via de escape para que a cúpula termine com uma declaração comum.

“A Espanha não reconhece nem ignora as eleições”, disse o chanceler numa entrevista coletiva.

“Temos agora um novo ator político. Queremos sair da cúpula presidencial comprometidos a ter uma saída democrática em Honduras”, acrescentou.

As deliberações continuariam pelo dia e os negociadores têm até terça-feira para chegar a um consenso.

 Acesso em: 30/11/2009

Disponível em:
http://br.reuters.com/article/topNews/idBRSPE5AT0F320091130

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. centrodosestudantes said, on 01/12/2009 at 23:23

    A América Latina não está dividida sobre a eleição de Honduras, mas sim está dividida entre as tendênicas de esquerda e direita sendo que alguns são absolutamente vinculados aos EUA enquanto outros são oposição declarada e outros, como o Brasil e Argentina, são mais moderados, entretanto, adotaram uma posição firme em relação à essa questão porque sabem que o que aconteceu em Honduras poderia ocorrer por aqui também.


Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: