Clipping de Relações Internacionais

1 Missão brasileira apóia estadia de Zelaya em embaixada mas lhe pede moderação

Posted in Américas, Política & Política Externa by Leila Yatim on 02/10/2009

Honduras – EFE – 01/10/2009.

Uma missão de deputados brasileiros respaldou hoje a permanência do deposto presidente hondurenho, Manuel Zelaya, na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, mas lhe pediu moderação para contribuir à solução da crise política do país centro-americano.

“Nós não poderíamos deixar de dar abrigo humanitário ao senhor Zelaya porque esta é uma tradição do Brasil”, declarou à imprensa o coordenador do grupo de seis deputados, Raúl Jungmann, depois de se reunir com o deposto governante na sede diplomática.

Mas “foi dito ao próprio presidente Zelaya que o discurso dele na vida pública de Honduras a partir da Embaixada do Brasil, o confronto político a partir da Embaixada do Brasil, nos dá desconcerto, nos causa, portanto, dificuldades”, assinalou Jungmann.

“Entendemos que todo tipo de comunicação deve ser pacífica, deve ser moderada”, e contribuir na busca “de solução para este problema” causado pelo golpe de Estado contra Zelaya no dia 28 de junho, acrescentou o legislador brasileiro.

Desde que apareceu na sede diplomática, dia 21 de setembro, Zelaya fez vários chamadas a seus seguidores à “insurreição” contra o Governo de facto que preside Roberto Micheletti.

“Não desejamos isso, desejamos que (…), como dizem o presidente Lula e o chanceler (Celso Amorim), há necessidade que se tenha moderação”, apontou Jungman.

Acrescentou que, na reunião que mantiveram na embaixada, Zelaya expressou aos deputados que está de acordo em adotar uma posição mais comedida.

Os deputados também conheceram os problemas que enfrenta a sede diplomática de seu país, entre eles o mal funcionamento da telefonia fixa, segundo indicou Jungmann.

A missão de deputados brasileiros chegou ontem à noite a Tegucigalpa e hoje se reuniu também com a Corte Suprema de Justiça, o Parlamento, o Comissário dos Direitos Humanos, Ramón Custódio, e a comunidade brasileira em Honduras, além de visitar a embaixada.

O presidente do Parlamento hondurenho, Alfredo Saavedra, se comprometeu com os legisladores brasileiros a instar a Micheletti a ampliar o termo de dez dias do ultimato dado ao Governo do Brasil para definir o status de Zelaya na embaixada.

Disponível em: http://www.mre.gov.br/portugues/noticiario/internacional/selecao_detalhe3.asp?ID_RESENHA=625402

Acesso em: 02/10/2009.

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. O Ruminante said, on 02/10/2009 at 23:52

    O fato dele usar a embaixada como palanque também foi apoiado, os caras tinham que, no mínimo chamar o cara no saco, além disso pedir para ele diminuir a comitiva de 60 cabras que estão vivendo as custas dos impostos dos brasileiros.


Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: